x Como funciona o Cinema – A Indústria de Filmes de Hollywood

O Cinema, “A Grande Arte de Luz e da Sombra”, “As Imagens em Movimento – Motion Pictures”, faz parte das artes, técnicas, espetáculos, e, eventos de entretenimento e de diversão pública, como o circo, o carnaval (que é “industrializado” no Brasil), a TV, o esporte (que funciona como empresa nos EUA), as competições de videogames, o teatro (o mais antigo dos espetáculos, e, que vive em crise há 4 mil anos), os mega-shows, as olimpíadas, os casinos, e, as convenções do Partido Democrata e do Partido Republicano dos EUA. 

“a revolução da tecnologia, fotos que andam”

A “Scena muda”, em 1921, n°9, vê o “film”, a “fita”, a “película” o “Picture”, o “Movie”, (ver abaixo sobre a palavra MOVIE), como um incomparável meio de propaganda:

O 32° Presidente dos EUA, F.D. Roosevelt, saúda Hollywood, a Meca do Cinema, na cerimônia de entrega do prêmio Oscar, em 1941, e, elogia a eficiência do cinema americano como:


a mais eficaz arma de propaganda do Mundo Livre contra o totalitarismo, e, que o cinema é um perigo nas mãos de ditadores:

https://www.youtube.com/embed/dF-7sKFf-Gk
https://www.youtube.com/watch?v=dF-7sKFf-Gk

O Cinema, (a sétima, e, “a mais importante de todas as artes”), é extremamente profissionalizado e industrializado nos EUA, com produção em série de filmes: uma “commercial manufacture“.


A linha de produção de uma “commercial manufacture“:Na produção em série de filmes em Hollywood,(Mais exatamente em vários municípios do Condado de Los Angeles – Estado da Califórnia – EUA

), em cada estúdio, a todo momento, há filmes em projeto, outros nos trabalhos iniciais de montar cenário, contratar atores, locação de imóveis, construção de cenários, outros em filmagens, outros em edição, outros em pós-produção, outros sendo distribuídos, e, outros em cartaz, mantendo assim uma contínua entrada de dinheiro no caixa da empresa para pagar as contas do estúdio.


Leia mais sobre a indústria do entretenimento e de diversões públicas do Condado de Los Angeles-CA em:https://laedc.org/industries/entertainment/

A Meca do Cinema:Desde o final da década de 1910, o cinema norte-americano, o maior do mundo, se concentra no Condado de Los Angeles, no Estado da Califórnia.


Quando se quer referir aos estúdios da Califórnia, se diz apenas “HOLLYWOOD”, que é o nome do distrito do Município de Los Angeles-CA que concentrava, no começo da “Golden Age“, a maioria dos estúdios.


Leia sobre o Distrito de Hollywood, no auge da “Golden Age“, em 1936, no livro do jornalista e escritor suiço Blaise Cendrars:A Meca do Cinema

“A ARTE DO FILME”  um livro clássico, de 1915, sobre a Sétima Arte, reeditado em 2.000o Cinema é a única arte que foi estudada, e, documentada desde o seu nascimento

A Sétima Arte documentada, na “The Moving Picture World”, desde 1908:https://onlinebooks.library.upenn.edu/webbin/serial?id=mpworld

A “Movie Weekly” online:https://onlinebooks.library.upenn.edu/webbin/serial?id=movieweekly

Os arquivos da Academy of Motion Picture Arts and Sciences se dedicam a preservar a história de Hollywood:Leia mais em:https://www.oscars.org/film-archive

Os “Lost Movies”:A grande maioria dos filmes feitos até 1929, mostrados nestas revistas antigas e pioneiras sobre cinema, já não mais existem. Duas razões principais são que o material usado para fazer os filmes eram inflamáveis e empedravam.Vários institutos dedicados ao cinema em todo mundo procuram por cópias perdidas, e, se dedicam a restaurarem filmes antigos.Exemplos:1- Do filme “Paixão de Joana D´Arc de 1928, com nota 8,1 no IMDB, foi encontrada uma única cópia inteira, em um convento na Noruega.2- O filme “Cleópatra“, 1917, com Theda Bara, é um dos mais famosos “lost movies”, restando apenas 40 segundos de projeção.
Leia mais sobre restauração de filmes:O notável trabalho de restauração de filmes da Cinemateca de Bologna:http://www.cinetecadibologna.it/en/restaurare

Leia sobre os “Lost Movies” em:https://editorial.rottentomatoes.com/guide/lost-unfinished-movies/

O Ponto crítico da Indústria Cinematográfica:O ponto crucial da indústria do Cinema,  “a mais viva das artes” – “o maior fenômeno estético popular do Mundo”, é – A Distribuição; Pouco vale alguém imprimir um livro em uma gráfica e nenhuma livraria aceitar vendê-lo. Pouco adianta rodar um filme, e, não conseguir distribuí-lo.Na indústria do petróleo, John Davison Rockefeller não se preocupava em ter poços de petróleo mas sim em controlar a distribuição do petróleo. 
Este é o ponto forte dos 6 grandes estúdios (6 maiores estúdios, 6 majors, agora 5, porque, em 2019, a Disney/Buena Vista comprou a Fox): – A Distribuição.

Nos anos 1910, os estúdios que não tinham salas de cinema, como o estúdio de Mack Sennett, tinham que vender os filmes por metro e por número de cópias, ao invés de receberem participação na bilheteria; sistema este que prejudicava muito os estúdios e aumentava os lucros do cartel de distribuidores e de exibidores de filmes.
Quando, em 1914, Charles Chaplin quis soltar suas asinhas e dirigir seus filmes, Mack Sennett perguntou:– Mas quem vai pagar o prejuízo se o seu filme não conseguir A Distribuição?
E,  mais tarde, em 1921, a “Scena Muda” n° 2, anota que: “Carlitos vendeu sua ultima fita, intitulada “O Bebé”, ao “Pricer Circuit Nacional de Exhibidores“, (ver Nota abaixo) por 800.000 dollars“;
 (Em dólar de 2020, é US$ 11, 6 milhões – “O Bebé” é o filme “O garoto” – “The Kid”  – com nota 8,3 no IMDB ). 
Nota: Na verdade, trata-se da First National Exhibitors Circuit Inc., fundada, em 1917, por 27 pequenos produtores de filmes, e,controlando cerca de 600 cinemas.
Leia mais em:https://oac.cdlib.org/findaid/ark:/13030/c80r9qx9/

https://enacademic.com/dic.nsf/enwiki/6243

Negociar bem com os exibidores é o X da questão na arte de fazer filmes, então, enquanto puderam, os grandes estúdios tiveram suas salas de cinema, (ver abaixo).
Um mercado mundial:Controlar a distribuição de filmes no exterior foi coisa que o cinema brasileiro nunca conseguiu.Ver abaixo sobre o filme “O Cangaceiro“, 1953, com nota 7,2 no IMDB.
Ainda em 1921, a “Scena Muda” n° 6 conta que:”Segundo os telegrammas recebidos pela Kinematograph Weekly, de seu correspondente na America do Norte, a United Artists Corporation (a sociedade de Carlitos, Pickford-Fairbanks-Griffith) vai de ora avantefazer  directamente a distribuição e exportação de seus films na Inglaterra“.  (Ver abaixo sobre a falência da U.A. em 1980.)

Os “Barões do Cinema”, os “Chefões” dos Estúdios:Outros pioneiros de Hollywood seguiram o caminho inverso do caminho de Mack Sennett e de Charles Chaplin:Pioneiros que eram donos de redes de cinemas e que resolveram montar seus próprios estúdios, como o estúdio Fox Film Corporation, fundado em 01/fev/1915, por William Fox, um pioneiro dos cinemas “nickel-odeons”. (Nickel é a moeda de 5 cents que pagava uma entrada nos primeiros cinemas dos EUA – os “poeiras” que receberam este nome por causa do “efeito do feixe de luz combinado à fumaça no projetor. Aquele fenômeno da poeira se formando pelas lentes do projetor” até à tela).
William Fox mudou, em 1917, o seu estúdio de Fort Lee no Estado da Nova Jérsei, para a Sunset Boulevard com a Western Avenue, em Hollywood, onde depois foi o laboratório de filmes “Color by de Luxe” também de William Fox.  William Fox mudou seus estúdios da Sunset Boulevard, em 1924, para o seu local atual, (ver abaixo), em Century City, também em Los Angeles-CA.
Leia mais sobre o “barão” do cinema William Fox:https://medium.com/@gustavobissoli/conhe%C3%A7a-a-triste-hist%C3%B3ria-de-william-fox-o-cara-que-criou-a-fox-f174462803b3

https://www.nosso.jor.br/william-fox-fundador-da-fox-film-corporation/

Uma moderna sociedade anônima de capital aberto:A Indústria Cinematográfica nos EUA funciona como qualquer outra grande indústria moderna:

– Tem o seu Setor de projetos, Folha de Pagamento, recrutamento e seleção, de Finanças e contabilidade, de Relação com Investidores, seu Departamento de Pessoal, relações públicas, merchandising, de Pesquisa de Mercado (este setor é fundamental), de Publicidade, Maquiagem, Propaganda e Marketing, de Engenharia, Laboratórios, Carpintaria, Decoração, e, de Design.
Sobre Pesquisa de Mercado:Em 2020, saiu um filme destinado à China, (“Mulan” – uma história de uma heroína chinesa, com nota 5,4 no IMDB);A China tem tantas salas de cinema quanto tem os EUA.E, para não desagradar este grande mercado, os personagens chineses dos filmes de Hollywood são bem mostrados:não há vilões chineses, atualmente, nos filmes de Hollywood.Máfia chinesa em filmes de Hollywood nem pensar.

um anúncio de streaming, em 2020, o filme “Mulan”  Hollywood de olho no mercado chinêso anúncio mostra outras 4 marcas da Disney:Pixar, Marvel, Star Wars, e, National Geographic

– Todo grande estúdio tem ações na NYSE – a Bolsa de Valores de Nova Iorque-NY, o que obriga o estúdio a apresentar relatório de desempenho, e, a mostrar, aos acionistas, que a empresa está dando lucro, e, que está sendo bem administrada:
Site de relação com investidores da Paramount Viacom-CBS com a cotação de suas ações na NYSE:http://ir.viacomcbs.com/

Relatórios anuais dos grandes estúdios para os seus acionistas:
Relatório anual detalhado, de 2012, das empresas da Comcast Universal Pictures na SEC SECURITIES AND EXCHANGE COMMISSION, a Comissão de Valores Mobiliários, CVM, dos EUA:https://www.cmcsa.com/static-files/390388fe-cbd5-4a70-82b2-9f7791971aad

Relatório anual da Disney de 2019:https://thewaltdisneycompany.com/app/uploads/2020/01/2019-Annual-Report.pdf

Relatórios anual da Sony/Columbia de 2019/2020:https://www.sony.net/SonyInfo/IR/library/presen/er/pdf/19q4_sony.pdf

https://www.sec.gov/Archives/edgar/data/313838/000114554907001097/k01348e20vf.htm#114

Relatório anual de 2019, e seu último, da Fox:https://media.foxcorporation.com/wp-content/uploads/prod/2019/09/18223214/Fox-Annual-Report-2019_Mid.pdf

Relatório anual da Warner Bros. de 2017:https://www.annualreports.com/HostedData/AnnualReports/PDF/NYSE_TWX_2017.pdf

Relatório Anual da Viacom-Paramount-CBS de 2019:https://sec.report/Document/0001339947-19-000043/

E, cada estúdio mantém a sua banca de advogados, e, faz empréstimos em bancos e tudo mais que é comum à uma grande empresa de capital aberto.

Capital japonês e capital chinês em Hollywood:A partir da década de 2.000, Hollywood, a “fábrica de sonhos do mundo”, tem sido bastante financiada por capital chinês, e, há 30 anos, em 1989, a Sony, empresa de eletrônicos japonesa, comprou a Columbia Pictures. 
A Sony Pictures Entertainment Inc. é divida em 3 unidades produtoras:Uma de alto, outra de médio, e, outra de filmes de baixo orçamento (o que lembra os antigos filmes “B” da “Golden Age“, ver abaixo).Isto demonstra organização, profissionalismo, e, sobretudo, preocupação com os custos de produção
“It operates Columbia TriStar Motion Picture Groupwhich includes: Columbia Pictures (big budget films); Screen Gems (midsized budget); Sony Pictures Classics (small budget); and marketing and acquisitions unit TriStar Pictures.”
Leia mais sobre a China em Hollywood:https://es.theepochtimes.com/influencia-china-sobre-hollywood-sera-puesta-a-prueba-en-negociaciones-con-omc_116626.html

https://www.expansion.com/empresas/2018/01/01/5a4a97aee5fdea115e8b462c.html

Problemas com o Governo dos EUA:Todas as empresas produtoras de filmes, como as de qualquer outro setor da economia americana têm problemas com o Departamento do Comércio, do trabalho, da defesa, e com o Departamento de Justiça dos EUA.

Como exemplo, qualquer compra de uma empresa por outra passa pela aprovação do Departamento de Justiça dos EUA para ver se a negociação não fere as leis antitruste dos EUA, como o caso atual da compra, em 2018/2019, da Fox pela Disney/Buena Vista.
Ler mais em:https://www.justice.gov/atr/case-document/file/1199871/download

https://www.justice.gov/atr/case/us-v-walt-disney-company-and-twenty-first-century-fox-inc

https://www.abladvisor.com/news/15976/disney-completes-71-3b-acquisition-of-21st-century-fox-with-backing-from-citiban

Outro exemplo de regulamentação antimonopólio nos EUA: A indústria cinematográfica não pode possuir salas de exibição de filmes desde 1948 com os “Paramount Consent Decrees“.
Leia mais em: https://www.justice.gov/atr/paramount-decree-review

Isto está para ser mudado:Os EUA estão para liberar novamente os estúdios terem sala de cinema (o que é um “monopólio vertical” – dominar toda a cadeia produtiva). O governo dos EUA, em 2019, falou em terminar com a proibição dos estúdios terem sala de cinema.
Leia sobre os grandes estúdios e a Lei Sherman Antitruste dos EUA:https://www.hollywoodreporter.com/thr-esq/judge-agrees-end-paramount-consent-decrees-1306387

Leia sobre a proposta de liberação feita pelo governo americano em:https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2019/11/justica-dos-eua-propoe-fim-a-leis-que-inibem-concentracao-no-mercado-de-cinema.shtml

https://www.hollywoodreporter.com/thr-esq/judge-agrees-end-paramount-consent-decrees-1306387
Apesar da proibição, a Paramount, através da “National Amusements Inc.”, de propriedade do velhinho Sumner Redstone também dono da Paramount, consegue ter suas salas de cinema.
Outro tipo de problema com o Departamento de Justiça: Charles Chaplin nas páginas do FBI, a polícia federal dos EUA:https://vault.fbi.gov/charlie-chaplin

O Departamento do Trabalho tem uma série de exigências em relação a trabalho de menores em filmes:https://www.dol.gov/agencies/whd/state/child-labor/entertainment

O negócio dos filmes:Toda empresa tem que dar lucro, e, se não dá lucro, cabeças rolam:Em 2016, Sumner Redstone, (falecido, aos 97 anos, em 11/agosto/ 2020), dono da Paramount através da Viacom, demitiu 5 executivos da empresa Paramount pelo péssimo lucro do filme “As Tartarugas Ninja – Fora das Sombras 2016”, filme que, com um orçamento de US$ 120 milhões, rendeu só US$ 82 milhões nos EUA e conseguiu apenas nota 6.0 no IMDB.Para pagar os seus custos de produção, um filme tem que render o triplo do custo nas bilheterias.
E, a direção dos estúdios ficarem atentas aos custos de cada projeto é fundamental:Em 1980, um filme que ficou caro demais e fracassou nas bilheterias levou o estúdio United Artists à falência:O filme Portal do Paraíso custou estimados US$ 44 milhões (em dólares de 2020, equivale a US$ 140 milhões), e, rendeu só US$ 3,4 milhões nas bilheterias.O forte da United Artists, fundada em 1919, foi a distribuição de filmes de pequenos produtores. Está produção própria faliu o estúdio. 
12 filmes que quebraram estúdios e carreiras por causa de seu alto custo:https://screenrant.com/movies-bankrupted-studios/

FATURAMENTO EM TEMPO REAL:Hoje, em tempo real, se sabe o quanto um filme está faturando nas salas de cinema, e, se o faturamento é baixo, rapidamente o filme é tirado de cartaz.
Veja no MOJO, as bilheterias de 2020, e, a porcentagem do faturamento dentro dos EUA:https://www.boxofficemojo.com/year/world/?ref_=bo_nb_tt_tab
O controle do faturamento bilheterias é uma antigo problema dos estúdios que enviavam fiscais aos cinemas para verificar in loco o quanto um filme seu estava faturando.

Concentração do mercado:Os grandes conglomerados empresariais compram pequenas empresas para adquirirem alguma marca: A montadora Chrysler comprou, em 1987, a American Motors para poder ter a marca JEEP, (e, depois a Chrysler fechou a American Motors), e, a Disney comprou, em 2012, a Lucasfilm Ltd para ter os direitos sobre a série iniciada em 1977 Star Wars (e, depois, a Disney/Buena Vista deu – Obrigada, Boa Noite! para George Lucas).
George Lucas reclamou, depois, que a Disney/Buena Vista não aceitou nenhum sugestão sua para os novos filmes da série STAR WARS. E, então, sem George Lucas, Star Wars Episódio VII de 2015 acabou sendo a maior bilheteria de todos os tempos em dólares correntes, tendo arrecadado US$ 931 milhões nos EUA, e, US$ 1.131 milhões fora dos EUA, para um orçamento de US$ 245 milhões.  Episódio VII tem nota 7,9 no IMDB.
Leia mais sobre George Lucas e a Disney em:https://sociedadejedi.com.br/2019/09/24/george-lucas-se-sentiu-chateado-e-traido-quando-a-disney-nao-seguiu-suas-tramas/

https://www.wsj.com/articles/star-wars-novelists-seek-years-of-missing-royalty-payments-from-disney-11608393600?mod=hp_lead_pos10

Leia sobre as 35 franquias adquiridas pela Disney quando esta comprou a Fox:https://www.omelete.com.br/filmes/confira-35-franquias-da-fox-adquiridas-pela-disney#17
Grandes conglomerados de empresas em um mercado concentrado:Todas as seis grandes empresas cinematográficas dos EUA, (6 Major Studios, agora em 2020, sem a FOX, e, com a Netflix – ver abaixo), hoje existentes em Hollywood, Los Angeles, e, em seus arredores, pertencem a grandes conglomerados de empresas.
Juntas com a Lionsgate, (o maior dos menores estúdios de Hollywood), as majors arrecadam hoje 90% da bilheteria das mais de 2.600 complexos de cinema dos EUA, pertencentes a grandes redes, as grandes empresas exibidoras de filmes, cada uma proprietária de dezenas de complexos.Estes 2.600 complexos têm um total de 30.000 salas de cinema nos EUA, ou seja, cada complexo tem mais de 10 salas em média, muito diferente dos cinema de antigamente. No Brasil, a grande maioria dos cinemas ficam em shopping centers.
O número de cinemas atual – 2.600 complexos – é, em 2020, bem menor que os 18.000 cinemas da “Golden Age”, com a diferença que os cinemas hoje têm em média 10 salas de exibição ou mais.
Essas salas de exibição dos complexos de cinemas de hoje, 2020, são de tamanho pequeno, quando comparadas com os “Palácio de Cinema” da “Golden Age” (ver abaixo), e, aos, hoje, quase extintos “cinemas de rua“, muitos destes de mais de 1.000 lugares nos EUA,  e, também no Brasil.

um anúncio de um cinema chic em 1921 em São Paulo-SP

A “Golden Age”:Em 1921, nos primeiros anos da “Golden Age”, os EUA já tinham 18.000 salas para um total mundial de 48.000 salas, portanto, os EUA tinham em 1921, 1/3 do total das salas de cinema do mundo. Nesta época, o cinema era a quinta maior indústria dos EUA.
Produção de primeira, e, produção de segunda linha – Filmes B:Como hoje onde supermercados de primeira linha vendem produtos mais caros e mercadinhos de periferia vendem produtos mais populares, na “Golden Age” os estúdios tinham os Filmes “B” e os programas duplos e de baixo orçamento destinados aos cinemas do interior dos EUA.O Republic, que era localizado onde foi o segundo estúdio de Mack Sennett em Studio City, era um estúdio especializado em filmes “B”.
Para ter uma ideia da força de Hollywood na “Golden Age”:- Na foto abaixo, Douglas Fairbanks e Charles Chaplin, em 1918, fazendo campanha para os bônus de guerra em Nova Iorque-NY, onde venderam US$ 2 milhões em bônus de guerra (mais de US$ 35 milhões em valores de 2020):

enorme multidão compacta vê Douglas Fairbanks segurar Charles Chaplinpropaganda de venda de bônus de guerraWall Street, Nova Iorque-NY, abril de 1918
Uma revista em português documentando a “Golden Age” desde 1921:http://bndigital.bn.br/acervo-digital/scena-muda/084859

Atores, atrizes, e, mais gente de Hollywood, nas cerimônias de entrega do prêmio Oscar da Academy of Motion Picture Arts and Sciences, de 1930 a 1960https://www.youtube.com/embed/1oLGUWJw_6Yna “Golden Age”, atores e atrizes eram venerados, e, o sonho da época era vencer em Hollywoodhomens e mulheres maravilhosos que divertiram gerações em todo o Mundo
Alguns dos famosos de Hollywood que aparecem no vídeo acima:THE FIRST ACTRESS TO APPEAR IS IN 00:25 Loretta Young – 00:28 Marlene Dietrich and Douglas Fairbanks Jr.  00:29 Janet Gaynor and Charles Buddy Rogers 00:31 Thelma Todd 00:32 Douglas Fairbanks 00:33 Norma Shearer 00:34 Wallace Beery 00:35 Lionel Barrymore 00:36 Jean Harlow 00:38 Greta Garbo 00:40 Claudette Colbert 00:41 Joan Blondell 00:42 Shirley Temple and his mother 00:44 Mae West 00:46 Cary Grant and Ginger Rogers 00:51 Ginger Rogers 00:53 Irene Dunne 00:55 Tyrone Power and Sonya Henie 00:56 Barbara Stanwyck 00:58 Deanna Durbin 00:59 Orson Welles 01:00 Robert Taylor 01:01 Hedda Hopper and Cesar Romero 01:12 Gary Cooper 01:14 Errol Flynn and Dolores del Rio 01:16 Charles Laughton 01:17 Judy Garland, Norma Shearer and George Raft 01:19 Louis B. Mayer and other boss 01:21 Clark Gable and Frank Capra 01:23 Shirley Temple 01:25 Betty Davis 01:26 Spencer Tracy and Betty Davis 01:29 Frank Capra and Louise Rainer 01:32 George Raft 01:34 Cary Grant 01:35 Gary Cooper 01:36 Rita Hayworth 01:37 Joan Fontaine 01:43 Eva Marie Saint 01:44 Lana Turner and Humphrey Bogart 01:47 William Holden and Donald O’Connor 01:49 Ernest Borgnine and Grace Kelly 01:51 Anna Magnani 01:58 Betty Davis and Marlon Brando 02:06 Gracy Kelly and Willian Holden 02:06 Sidney Poitier 02:07 Donald O´Connor and Frank Sinatra 02:11 Kim Novak 02:13 James Stewart 02:14 Sophia Loren and Cantinflas 02:16 Marlon Brando 02:18 Natalie Wood 02:20 Doris Day 02:24 Elizabeth Taylor and THE LAST TO APPEAR 02:27 Paul Newman

Para conhecer mais sobre Estúdios de Hollywood da “Golden Age“, sua forma e sua localização e evolução:
O site abaixo é o mais detalhado estudo sobre os antigos estúdios;é rico em fotos, e, tem como tema central a TELEVISÃO, a grande rival dos Estúdios de Cinema, mostrando uma quantidade enorme de estúdios de cinema convertidos em estúdios de TV:http://www.retroweb.com/tv_studios_and_ranches.html

E leia:http://www.movielocationsplus.com/homestud.htm

Como os estúdios fazem filmes:Um Tour, em 1924, pelos Estúdios Keystone, de Mack Sennett e de Mabel Normand, na “Golden Age“. Ver abaixo sobre este estúdio.Foi o primeiro estúdio em que Charles Chaplin trabalhou, ver abaixo.Aparecem no vídeo, entre outros, Marie Dressler, Billy Bevan, Ben Turpin, Charles Chaplin, Mack Sennett, e, Ford Sterling:https://www.youtube.com/embed/G-Dx-0GcGVM
https://www.youtube.com/watch?v=G-Dx-0GcGVM&t=116s

Charles Chaplin mostra como o seu estúdio, na North La Brea, e perto da Sunset Boulevard, fazia filme na “Golden Age“, nos “magical times”.Este estúdio ainda existe; é o atual Jim Henson Studios:https://www.youtube.com/embed/rZshz5rysgQ
https://www.youtube.com/watch?v=rZshz5rysgQ&t=292s

O Charles Chaplin Studios ontem e hoje:http://www.thestudiotour.com/wp/studios/jim-henson-studios/

Um “Palácio” de Cinema, em San Francisco-CA, na “Golden Age“Clic na imagem para abrí-la e ler:

Um cinematographo, em 1921, na “Golden Age”, para 15.000 pessoas sentadas, exibe um filme da “Pathé Films” sobre o recém empossado 29° Presidente dos EUA, Warren G. Harding 

A ASSOCIAÇÃO DOS GRANDES ESTÚDIOS DE HOLLYWOOD- A MPA:A entidade que defende os interesses das 6 Majors é a MPA – Motion Pictures Association, que tem escritórios em várias partes do mundo, e, como sinais dos tempos, tem agora, como membro, a Netflix Studios.
https://www.motionpictures.org/who-we-are/

https://www.motionpictures.org/what-we-do/

A MPA foi fundada, em 1922, com o nome de Motion Picture Producers and Distributors of America (MPPDA). A MPPDA unia produtores e distribuidores em uma mesma associação.
As muitas censuras –  O Código Hays.Um dos maiores problemas enfrentados pela MPA foi a censura, caótica no início, e, sistemática com o Código Hays, ver abaixo, que vigorou de 01/jul/1934 até 1965.Os filmes, hoje valorizados, de antes da censura são chamados de “Pre-code“:
Leia mais sobre a censura em Hollywood e o Pre-code em:http://pre-code.com/hollywood-studios-pre-code-era/fox-films/

O Código Hays, de 01/jul/1934, unificou, uniformizou, e, padronizou a censura de filmes, facilitando a vida especialmente dos advogados dos estúdios.Antes do Código, Hollywood enfrentava centenas de censuras nos Estados, e, nos milhares de condados norte americanos.
A “Scena Muda”, n° 18, de 1921, detalha a censura em Washington-DC:

Leia mais em:http://memoria.bn.br/pdf/085995/per085995_1955_00991.pdf

A Censura chega à Suprema Corte dos EUA:https://core.ac.uk/download/pdf/159578357.pdf

https://supreme.justia.com/cases/federal/us/236/230/

Hoje, 20/dez/2020, são membros da MPA: (não mais MPAA – tiraram fora o “of America“):
“Our members are:1- Walt Disney Studios Motion Pictures,2- Netflix Studios LLC,3- Paramount Pictures Corporation,4- Sony Pictures Entertainment Inc.,5- Universal City Studios LLC, and:6- Warner Bros. Entertainment Inc.”

os 6 atuais membros da MPA
Leia mais sobre a Netflix na MPA:https://www.tecmundo.com.br/internet/138097-netflix-entra-associacao-maiores-estudios-cinema-mundo.htm

Direitos autorais e Copyright:Cada filme para ter garantido seu direito autoral tem que deixar uma cópia, ou seja, tem que fazer o depósito legal, (antigamente rolos de filmes, hoje cópias digitais), na Biblioteca do Congresso dos EUA, a “LOC”, a “Library of Congress“, e, renovar, periodicamente, o copyright. 
Um filme de 1940 já está em domínio público por esquecimento de renovação de copyright – É “Jejum de Amor”, “His Girl Friday” – com nota 7,9 no IMDB.  Ler sobre “Jejum de Amor” em:https://www.imdb.com/title/tt0032599/?ref_=fn_tt_tt_7

E muitos filmes de estúdios falidos caíram em domínio público por falta de renovação do copyright, o que não foi o caso da MGM, ver abaixo.
Hoje, 2020, os filmes americanos anteriores a 1924 estão em domínio público.
Leia mais sobre copyright e domínio público de filmes em:https://www.copyright.gov/circs/circ45.pdf

https://www.loc.gov/free-to-use/public-domain-films-from-the-national-film-registry/

https://www.loc.gov/rr/mopic/pubdomain.html

Nos arquivos nacionais dos EUA, existem muitas cópias de filmes, em domínio público, que os “National Archives” colocam online:https://archive.org/details/feature_films

O Cinema de Hollywood no Youtube:

“O Garoto”  um exemplo de filme em domínio público que pode ser exibido no Youtube
Leia sobre “”O Garoto” no IMDB:https://www.imdb.com/title/tt0012349/?ref_=nv_sr_srsg_8

A Era Digital, e, as novas tecnologias:E todas as salas de cinema nos EUA agora são digitais. Não tem mais rolo de filme caríssimo para ser fabricado aos milhares e de caríssimo e demorado transporte até às salas de cinema.
No cinema digital, o custo é muito menor e a distribuição muito mais rápida.
Sobre a Era Digital no Cinema, leia esta excelente reportagem do Variety:https://variety.com/2013/film/news/film-jobs-decline-as-digital-distribution-gains-foothold-1200375732/

E, veja esta reportagem sobre o uso da tecnologia dos videogames no cinema:https://www.bbc.com/portuguese/geral-53378396

rolos de filme de “Tempos modernos” de 1936 da “Charles Chaplin Productions”, com nota 8,5 no IMDBConcorrentes?:Como toda grande indústria moderna, a indústria cinematográfica tem suas imitações; as chinesas e indianas (Bollywood) são as maiores.Resta saber se a China vai conseguir fazer, como faz nas demais indústrias, produzir imitações de produtos, (no caso filmes), para o mercado externo a baixo preço e inundar os cinemas do Mundo. 
Bollywood da Índia tem dois pontos fracos:1- Faz filmes para o gosto dos indianos somente – Não para o gosto do maior mercado, os EUA e ao gosto do mundo em geral. E isto é o que a EMBRAER do Brasil faz:- Projeta aviões para o mercado americano e mundial, e, não para o mercado local do Brasil que é muito limitado.2- A DISTRIBUIÇÃO: Bollywood não tem ainda a estrutura das majors para distribuir seus filmes para o mundo todo.
O Filme brasileiro “O Cangaceiro“, 1953, da Companhia Cinematográfica Vera Cruz, foi feito pensando no mercado externo, no mercado mundial – um faroeste no sertão.A Vera Cruz conseguiu que a Columbia Pictures o distribuísse fora do Brasil, porém, a Columbia Pictures ficou com a maior parte da arrecadação do filme no exterior, pagando pouco à Vera Cruz.
Conheça os outros filmes da Vera Cruz:https://www.imdb.com/search/title/?companies=co0079093

Leia mais sobre Bollywood em:http://jornalismojunior.com.br/duas-industrias-dois-mundos-o-que-hollywood-tem-a-ver-com-bollywood/

Há, ainda hoje, em 2020, mundo afora, malucos amadores que fazem filmes de fundo de quintal, e, “profissionais improvisados”, que pagam juros altos em bancos, e ainda fazem filmes de forma improvisada, esporádica, e, descontínua.
“O cinema brasileiro não tem uma estrutura industrial; o cinema brasileiro é realizado por amadores ou por profissionais assim improvisados, por empresários que pegam dinheiro em banco com altos juros, de forma que é uma coisa artesanal; é o reflexo de uma situação industrial artesanal,de uma situação industrial que não fez uma revolução industrial que é o caso típico do Brasil.” GLAUBER ROCHA, DÉCADA DE 1970.

Um vídeo de Glauber Rocha sobre o Cinema no Brasil:https://www.youtube.com/embed/3PEypvwosu4
https://www.youtube.com/watch?v=pACO4l51b3E&t=154s

Onde ficam as 6 MAJORS no Condado de Los Angeles-CA:As seis grandes (6 MAJORs) empresas de cinema dos EUA, atualmente, estão situadas:

1- No Distrito de Hollywood propriamente dito, Los Angeles, Califórnia – a Paramount, na Melrose com North Gower, que é o único dos grandes estúdios que está ainda em Hollywood.E, a Netflix produziu várias séries no Sunset Gower Studios, que fica bem em frente onde surgiu o cinema em Hollywood, bem em frente ao Columbia Square, (ver abaixo).

2- Em Los Angeles-CA, Pico Boulevard, (Distrito de Century-City) – a 21st Century-Fox, recém comprada pela Disney/Buena Vista que tirou a marca 21st Century-Fox da frente do estúdio.

3- Nos arredores de Los Angeles estão: – 1-A Universal. 2-A Disney/Buena Vista e a 3- Warner, ambas em Burbank-CA ao norte de Hollywood, e, a 4- Sony/Columbia em Culver-City-CA. A Sony funciona, com a marca da Columbia Pictures-Tristar, onde foram os estúdios da falida MGM – Metro-Goldwyn-Mayer, que foi o maior dos estúdios na “Golden Age“).Hoje, 2020, a MGM tem resort, e, seu acervo de filmes foi comprado por Ted Turner, o fundador  da CNN, cuja principal aquisição foi o filme “…E o Vento Levou“, 1939, com nota 8,1 no IMDB.

Um sistema integrado:Cada uma das grandes empresas da indústria de cinema procura ocupar todos os espaços do setor de entretenimento por imagem:

A tendência é todos conglomerados donos das majors terem tem sua rede (network) de TV aberta, (hoje, totalmente digital, nos EUA):A Paramount tem  a CBS-TV, a Universal tem a NBC-TV, e, a Disney tem a ABC-TV, que são as três grandes redes de TV aberta dos EUA. E, a Warner tem a CNN.E, terem seus canais de TV a cabo, sua TV parabólica, sua divisão de videogame, de música, de Home-Vídeo, de desenho animado, de distribuição de filmes, de produtos derivados dos filmes como camisetas etc., seu resort, e, seu parque de diversões temático.
Estes grandes conglomerados de empresas que são donos dos estúdios de cinema de Hollywood, (uma empresa que pertence a outra, que pertence a outra), têm, no caso da Disney, https://thewaltdisneycompany.com/ , mais de 100 empresas subsidiárias: Resort, parque temático, redes de televisão, empresas de músicas em vários formatos, desenho animado, TV por assinatura, e agora estão entrando no mercado de streaming (pagar para ver o filme, a la carte, na TV).
Hoje, 2020, só 30 por cento do faturamento da Disney vem de salas de cinema, e, o receio da Disney é que o streaming venha a canibalizar a renda das salas de cinema.E, no Brasil, o streaming já é em dezembro de 2020, 15% dos televisores ligados, portanto já sendo sério concorrente das TVs e dos cinemas.
Sobre o streaming ser uma ameaça às salas de cinema, leia:https://www.infomoney.com.br/negocios/o-cinema-e-o-novo-vinil-como-decisao-da-warner-bros-pode-transformar-o-mercado-do-entretenimento/

Sobre o otimismo do Mercado com o streaming da Disney, leia:https://br.investing.com/analysis/por-que-a-disney-esta-disparando-na-pandemia-mesmo-com-seus-parques-fechados-200438997

Com este sistema comercial, empresarial e industrial integrado, e, com os estúdios ocupando todos os espaços, os filmes de Hollywood são divulgados e distribuídos das mais diferentes formas e plataformas, e, não mais só nas salas de cinema.Este sistema integrado de mercado e de organização industrial, além de melhorar o relacionamento com o cliente, aumenta o faturamento, e, dilui os riscos do investimento, pois um filme não depende mais só das salas de cinema. 

as marcas da VIACOM-CBS

IMPOSTOS ALTOS e Guerra Fiscal entre os Estados norte americanos:Como qualquer empresa, os estúdios fogem dos impostos, e, saem à caça de incentivos.No momento, 2020, os impostos estão muito altos no Estado da Califórnia, então os estúdios estão filmando nos estados americanos da Louisiana e do Alabama, estados que têm programas de incentivo ao cinema.
https://louisianaentertainment.gov/projects/film

E a Netflix pretende produzir em Albuquerque, no  Novo México:Leia mais em:https://deadline.com/2020/11/netflix-billion-dollar-production-commitment-new-mexico-abq-studios-stranger-things-1234620435/

RELAÇÃO COM CLIENTES:Como nos demais setores da economia, hoje, a relação com o cliente conta muito: visitas guiadas aos estúdios, e, aos parques dos estúdios são estimuladas.
Site de tour pelos estúdios da Warner Bros.:https://www.wbstudiotour.com/pt/

Vídeo de um tour nos estúdios da Universal, no Parque dos Dinossauros – O mais famoso Tour em Estúdio de cinema:https://www.youtube.com/embed/wrXPF5Ua0Xs
https://www.youtube.com/watch?v=wrXPF5Ua0Xs
Roupa de Super Homem, bonecos, brinquedos e merchandising em geral ajudam no relacionamento com os clientes, divulgam os filmes e as marcas, e, aumentam o faturamento e os lucros.
SINDICATOS – Dos longos contratos de trabalho da “Golden Age” aos atores free-lancers:O cinema de Hollywood também, como toda indústria moderna, tem problemas com sindicatos: hoje não se pode mais trabalhar presos a contratos muitos longos, de até 20 anos como acontecia até 1944 antes do Caso De Havilland X Warner Brothers, quando a situação começou a mudar. Hoje, 2020, a maioria dos atores trabalham como free-lancers, o que tornou poderosos os agentes de talento que vendem pacotes às empresas produtoras de filmes.
E, para pagarem menos imposto de renda, atores usam o recurso de prestarem serviço em vez de trabalharem sob contrato.

Como tudo começou em Hollywood:
Quem entende e gosta de cinema sabe que o começo da indústria em Hollywood não foi nada fácil, sendo por isto, ligado à história do cinema, aos seus heróis, e, aos seus pioneiros.

Tem-se sempre uma dívida de gratidão com aqueles malucos que cruzaram a América de trem, numa viajem de 4.000 km (3.936 km para ser exato), para vir parar em um loteamento novo em Los Angeles-CA, e, ali, na pobreza, no meio dos porcos, e, filmando nas ruas, (por não terem lâmpada elétrica, e, porque as primeiras lâmpadas dos estúdios não funcionavam bem), para fugirem do monopólio da MPPCMotion Picture Patents Company e para fugirem das tempestades de inverno da Costa Leste dos EUA e de Chicago-IL que atrasavam as filmagens.
O Condado de Los Angeles-CA oferecia 9 meses de estiagem por ano, para os estranhos forasteiros filmarem, em três semanas no máximo, à luz do sol, um longa metragem.
Leia mais sobre o truste MPPC em:https://supreme.justia.com/cases/federal/us/243/502/
https://edison.rutgers.edu/mopix/mppats.htm
Estes loucos filmavam nas ruas de Hollywood e arredores, onde os ainda poucos moradores assustados, por causa das filmagens das correrias nas ruas, bulevares e nas avenidas: na Sunset, Selma, North Gower, Melrose, Glendale Boulevard, Echo Park Lake, e, na Prospect, passaram a chamar os loucos forasteiros de “THE MOVIES”
As correrias dos “Keystone cops“, dos “Batutinhas” – “Our Gang“, e de Buster Keaton nas ruas e campos são inesquecíveis:

as correrias que fizeram os filmes serem chamados de “movies”
Charles Chaplin diz que demorou, na virada de de 1913 para 1914, a achar o Estúdio de Mack Sennett na 1712 Alessandro Avenue, (hoje Glendale Boulevard), no Bairro de Edendale, em Los Angeles-CA, pois o que Chaplin via ali na hoje Glendale Boulevard era:
– Havia por lá depósitos de madeira e ferro-velho, duas granjas (de porcos) em abandono, e, onde construíram dois galpões, um bangalô;O Estúdio era uma propriedade arruinadafiquei olhando pensando se devia entrar ou não. – Por dias, cheguei até ao estúdio, mas não conseguia entrar.
(Eu também teria medo de entrar, no início de 1914, na pocilga que era o Keystone Studios de Mack Sennett e de Mabel Normand.)

Charles Chaplin e Mabel Normand, em Echo Park Lake, filmando “Mabel’s Married Life, 1914” Assista “Mabel’s Married Life, 1914”:https://www.youtube.com/watch?v=iWu0exU23QE
 Echo Park Lake que fica perto de onde eram os Estúdios de Mack Sennett, na 1712 Glendale Boulevard, Edendale, Los Angeles-CA
O bom filho a casa torna: O Cinema voltou a Echo Park Lake:https://evidencefilmstudios.com/

Um ano depois, em 1915, Charles Chaplin comenta assim sobre o seu segundo estúdio, na roça, o Essanay-West, em Niles-CA, onde tinha:
“400 pessoas preocupadas só com alfafa e gado:Quando eu vi (o estúdio) senti o coração apertado; nada poderia ser mais desanimador

O VELHO NESTOR – O PRIMEIRO ESTUDIO DE HOLLYWOOD – 1911Não havia a menor chance, a menor lógica, a menor possibilidade econômica, política, técnica, financeira ou qualquer outra possibilidade de dar certo, em 1911, naquele fim de mundo, na esquina da SUNSET BOULEVARD com NORTH GOWER STREET, (depois chamada de Columbia Square), inaugurar o primeiro estúdio em Hollywood, o velho NESTOR STUDIOS.
O velho NESTOR teria que convencer, em 1911, atores e atrizes dos teatros da  Broadway, em Nova Iorque-NY, a virem, de trem, para aquele fim de mundo, e, depois de produzido o filme, embarcar latas de filmes em trens para viajarem 4.000 km para serem exibidos em Nova York-NY.Em 1915, Charles Chaplin fez esta viagem em 5 dias.
Não havia a menor chance daquela loucura dar certo.
Onde foi o Nestor, depois foi Universal, e, depois foi o “Columbia Square“.Leia mais em:https://kilroyrealty.com/property/columbia-square

http://hollywoodlostandfound.net/locations/nestorstudio.html

https://www.columbiasquarehistory.com/

um anúncio do velho Nestor Films, ainda, em dezembro de 1910, ainda com endereço, do escritório provavelmente, em Nova Iorque-NY (147, 4TH Avenue), poucos meses antes de se tornar o primeiro dos estúdios de Hollywood


%d blogueiros gostam disto: